O estado desastroso em que as finanças do país se encontravam com o PS ao leme obrigaram Portugal a pedir ajuda financeira. Não fosse esta ajuda, e não havia dinheiro para pagar aos funcionários públicos dentro de dois meses.

jose_socrates_e_antonio_jose_seguro_zorateO PS assinou um duro acordo com a última instituição que nos aceitou emprestar dinheiro, a Troika, e hoje finalmente, e com muito custo, deixamos de estar dependentes desse acordo. É isso a saída limpa. Não precisamos mais de mais dinheiro da Troika, mas ainda teremos muitos anos para pagar esta sujeira criada pelo PS.

E agora o PS queixa-se de que se está a fazer uma saída limpa. Ou seja queria outra. E se queria outra, significava pedir mais dinheiro emprestado. Mais dinheiro para ter de pagar, e ainda mais anos de austeridade.

E quando se fala de que isto tudo é limpar a sujeira que o PS fez, pessoas ligadas a este partido diz que andar a apontar culpas não é bom para o país. Se calhar apontar mais culpas, e até criminalizar quem fez o país cair quase na bancarrota, é que devia ser feito para isto não acontecer…

1 COMENTÁRIO

  1. Sem estar a querer defender o PS, que fez muita borrada (então em custos e derrapagems e corrupção associada a obras publicas o PS de Sócrates dificilmente terá quem o consiga ultrapassar), é importante relembrar que durante o governo de Sócrates as ordens e ideologias enviadas pela UE não eram de “façam os possíveis para não ultrapassar os 60% da dívida” mas sim “se o país está em dificuldades económico-financeiras, então invistam mais em obras e grandes projectos para estimular a economia”.

    E agora sem estar a querer defender o PSD, é bom para o país uma “saída limpa” e de facto, dado as imposições da Troika assinadas tanto pelo PSD como PSD como CDS (com as quais nunca concordei, nem eu nem milhares de pessoas com formação em economia e finanças, muitos delas pertencentes ao próprio FMI), o país está a melhorar. Aos poucos, mas está.

Deixar uma resposta