Tozé (In)Seguro – Um exemplo de (in)coerência

O Partido Socialista, liderado pelo caro Tozé Seguro, foi o partido mais votado nas eleições europeias de passado Domingo. Foi o vencedor,  isso é um facto.

Com isso acha que a margem, nem quatro por cento, com que ganhou ao partido que ocupa o governo, é motivo para este ser retirado do seu lugar por via de eleições antecipadas.

António Costa, membro do seu PS, acha que face a esta magra vitória (quando da última vez em que esteve na oposição o PS teve 44% em europeias) é motivo para esta direcção do partido cair. Dando lugar a eleições antecipadas.

Do alto da sua coerência Tozé Seguro acha que o primeiro é um argumento lógico, mas o segundo não. É grande esta coerência do Tozé.

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: