Podia começar a falar do concerto de quinta feira em relação à falta de energia e de Mastodon, da(o) ridiculo(a) vocalista dos Blood Brothers, dos matrecos que preferi a jogar em vez de estar a ouvir Stone Sour, ou da mais de meia hora que os Metallica demoraram a entrar em palco. Mas porque? Porque não foi isso que me ficou da noite. Primeiro a extravagancia criativa de Joe Satrianni, e depois o puro rush de adrenalina dos Metallica, regados com uma boa dose de reencontro de velhos amigos, fizeram-me passar uma das melhores noites da minha vida.

O alinhamento das músicas tocadas, evitando por completo o St. Anger, foi quase perfeito, e a vida com que eles as tocaram foi assustadora. A interacção que tiveram com o público fizeram a malta cantar, gritar, saltar… enfim viver. Melhor que isto… só mesmo uma coisa, e vocês sabem qual é.

Para quem não foi fica aqui o alinhamento da noite, e um conselho. Para a próxima não faltem.

 Creeping Death
For Whom The Bell Tolls
Ride The Lightning
Disposable Heroes
The Unforgiven
…And Justice For All
The Memory Remains
The Four Horsemen
Orion
Fade To Black
Master of Puppets
Battery
– – – –
Sad But True
Nothing Else Matters
One
Enter Sandman
– – – –
Am I Evil?
Seek and Destroy

2 COMENTÁRIOS

  1. Foram umas bestas no palco, completamente! Já há muito que não delirava tanto a curtir um concerto, foi mesmo muito bom especialmente quando chegou ali ao The Unforgiven, antes disso achei que esteve um pouco a arrastar-se nos solos que sinceramente não gostei (também tinha acabado de ouvir Satriani do qual sou fã e isso conta muito :P).

    Não vi as duas ultimas musicas e preferi sair mais cedo (o que não serviu de muito mas isso é outra historia) no entanto devo dizer que dei o meu dinheiro por bem gasto com os concertos de Metallica e Satriani 😀

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.