How does it feel to be alive? YEAAAAAHHHH

Podia começar a falar do concerto de quinta feira em relação à falta de energia e de Mastodon, da(o) ridiculo(a) vocalista dos Blood Brothers, dos matrecos que preferi a jogar em vez de estar a ouvir Stone Sour, ou da mais de meia hora que os Metallica demoraram a entrar em palco. Mas porque? Porque não foi isso que me ficou da noite. Primeiro a extravagancia criativa de Joe Satrianni, e depois o puro rush de adrenalina dos Metallica, regados com uma boa dose de reencontro de velhos amigos, fizeram-me passar uma das melhores noites da minha vida.

O alinhamento das músicas tocadas, evitando por completo o St. Anger, foi quase perfeito, e a vida com que eles as tocaram foi assustadora. A interacção que tiveram com o público fizeram a malta cantar, gritar, saltar… enfim viver. Melhor que isto… só mesmo uma coisa, e vocês sabem qual é.

Para quem não foi fica aqui o alinhamento da noite, e um conselho. Para a próxima não faltem.

 Creeping Death
For Whom The Bell Tolls
Ride The Lightning
Disposable Heroes
The Unforgiven
…And Justice For All
The Memory Remains
The Four Horsemen
Orion
Fade To Black
Master of Puppets
Battery
– – – –
Sad But True
Nothing Else Matters
One
Enter Sandman
– – – –
Am I Evil?
Seek and Destroy

Vê a minha história gastronómica na Zomato!
Vê a minha história gastronómica na Zomato!

Artigos relacionados