Dia 1 de Janeiro este rectângulo à beira mar plantado foi alvo de uma lei que mudou drasticamente a vivência dos seus habitantes. Para muitos a liberdade de poderem finalmente estar num café sem levar com o tabaco dos outros, para outros uma restrição à sua liberdade, digna de um governo totalitário. No último texto que tinha colocado aqui já tinha referido que muitos portugueses sentiam que este governo estava a tomar medidas de alguma repressão, e totalitárias, será este mais um caso.

Por toda a rua, Internet e qualquer outro sítio onde possam expressar a opinião, fumadores de todas as idades e credos juram a pés juntos o seu civismo durante a todo o tempo que fumaram com a anterior lei. Sempre que fumaram, dizem, que pediram se podiam fumar a quem estava com eles. Eu muito raramente vi isso acontecer, mas pronto a questão é outra. Uma pessoa entra num bar, e como se sente afectada pela quantidade de fumo, os fumadores reparam e param de fumar. Sim, isto é apenas hipoteticamente, porque nunca vi algo deste género a acontecer, mesmo quando alguém tossia ferozmente. Mas pronto, os fumadores dizem que paravam de fumar, e voilá, tudo resolvido. Claro, porque toda a gente sabe que não existem nuvens enormes de fumo em qualquer bar/discoteca, ou mesmo muitas vezes restaurantes e pastelarias. Para eles é só parar de fumar naquele momento, e tudo está limpo. Claro que o bom samaritano fumador vem logo dizer que nas discotecas e bares nocturnos isto não faz sentido, porque as pessoas que frequentas estes meios ou estão habituadas ao tabaco, ou fumam. Será que eles nunca se lembraram que muita gente saía menos à noite por causa da suposta liberdade deles? Para mim liberdade sempre me foi ensinado que era ter os meus direitos, até ao ponto em que não afectava os direitos dos outros.

Mas esta lei peca especialmente por tardia, visto haverem hábitos muito enraizados na sociedade Portuguesa. Muitos fumadores, que apesar de tudo se encontram a cumprir positivamente a lei, queixam-se de tudo e de todos, até porque podem fumar menos. Um caso giro que vi foi um empregado na televisão a dizer que agora com isto, o governo vai-lhe baixar a produtividade no emprego, visto agora ter de fazer pausas de hora a hora, para fumar o seu cigarro. Será que o patrão dele apoia isso? Agora além do tempo que temos para ir à casa de banho e lanchar, justos na minha opinião, tem de se dar tempo para o cigarro? E quem não fuma, para compensar pode ter 5 minutos de hora a hora, para ir assobiar uma cantiga, se quiser? Facto positivo é a quantidade de pessoas que conheço que tomaram a decisão de deixar de fumar com a saída desta lei, e isso é uma grande vitória. Sim, porque em parte a lei também era para cortar o ciclo vicioso de que ir a um café era socializar e fumar, levando pessoas ao vicio do tabaco para poderem socializar.

E acima de tudo foi o dia em que a maioria silenciosa de portugueses perdeu a vergonha. Agora com esta lei, parece que finalmente acordaram e viram que não têm de tomar por medida com os vícios dos outros, e podem em sítios públicos viver na sua forma de vida, sem serem prejudicados pelas formas de vida de outros.

Deixar uma resposta