Há frases que merecem um post por si só. Esta é uma delas:

Toda a gente pensa em mudar o mundo, mas ninguém pensa em mudar-se a si mesmo.

  – Leo Tolstoy

Na versão que li pela primeira vez, em inglês visto não saber russo, era assim:

Everyone thinks of changing the world, but no one thinks of changing himself.

12 COMENTÁRIOS

  1. O homem inventou as linguas para os povos não se entenderem…

    in, Espelhos de Lacan, Eduardo da Cunha Junior – Cunha de Leiradella.

  2. …Um dia quando morrer hei-de dar a vez a uma criança nascer…

    in, João Carlos Veloso Gonçalves, Inspiração do Compositor, graficamares, p. 01

  3. As crianças são como os rebentos:
    Nascem, crescem e permanecem.
    Ficam lindos!
    Envelhecem e morrem…

    in, João Carlos Veloso Gonçalves, O livro da criança, graficamares, p. 14

  4. “O que fizeste com os dãos que te dei por empréstimo?” Não eram teus, eram meus, e tinhas por obrigação colocá-los ao serviço do teu próximo.”

    In, Editora Atheneu – António Veloso, Sobreviver sem perder a esperança, Brasil, 1998. p. 14

  5. Na verdade a fantasia é e será sempre das crianças, não importa o tempo em que vive, caso contrário o mundo não teria sentido em dar a vida humana a existência de tempo de ser inocente porque se é criança.

    in, João Carlos Veloso Gonçalves, O livro da criança, graficamares, p. 09

  6. Que dizer do conteúdo?!… Não sei. E depois, que importa a minha opinião? Deixemos os pequenos leitores falar. Eles são os grandes mestres, é para eles que o Compositor escreve este livro. E ainda; penso ser de elevada importância deixar que as crianças façam a sua própria leitura, sem antes serem incentivados ou correrem o risco de se deixarem seduzir por umas palavras ditas ou escritas por um outro comentador.

    in, João Carlos Veloso Gonçalves, O livro da criança, graficamares, p. 11

  7. Louvo o Autor pela sua coragem e ousadia, pois, não tendo formação literária nem académica, enfrenta com a perspicácia necessária algumas questões importantes e de difícil trato.
    Não posso deixar de apontar algumas incorrecções ao nível do Português, nomeadamente de sintaxe e pontuação, mas relevadas pela escolaridade do Autor.

    in, João Carlos Veloso Gonçalves, Inspiração do Compositor, graficamares, p. 03

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.