Bem, o titulo pode parecer estranho, mas é a mais pura da verdade. Mas se calhar é melhor passar a explicar mais um pouco.

A Direita e a Esquerda políticas baseiam a sua mais forte divisão na questão da igualdade.

Na esquerda, defende-se a Igualdade de Direitos, ou seja toda a gente tem direito ao mesmo. A direita defende por seu lado uma coisa completamente diferente, que é a igualdade de oportunidades. E na nossa sociedade, especialmente na função pública, o que vigora desde as medidas do PCP no PREC (para as quais não foi eleito), é a igualdade de direitos.

Um exemplo prático. O cidadão A, funcionário da Câmara Municipal de Serras de Algo, recebe 800 euros por mês, e é funcionário desde 1974. De repente em 2010 a mesma instituição contrata um funcionário B, que receberá 600. Ao fim é decidido um aumento de 2%. Cada um destes senhores irá receber essa quantia. Isto é igualdade de direitos, e é o que defende o sistema actual. Num sistema onde a lógica de direita, a Igualdade de Oportunidades, impera, a pergunta chave seria feita na altura do aumento ser dado: quanto merece de aumento cada um.

Ambos tiveram a oportunidade de fazer o seu trabalho bem, aumentarem a capacidade dos que os rodeiam, e cumprir. Quando chega a altura do aumento, é isso que deve ser visto, o que cada um fez. Tendo tido hipóteses iguais, na altura das recompensas, estas não devem ser iguais, mas sim justas para o que cada um cumpriu.

Olhando noutro prisma, a segurança. O individuo A e B são parados numa operação stop. O A e B têm os documentos verificados apenas, e são mandados seguir. Isto é a visão esquerdista. Na visão de direita, seria visto algo mais. Se o individuo A tivesse no seu passado sido autuado uma vez ou duas por condução sob o efeito de álcool, o policia deveria deslocar-se ao carro patrulha, e mesmo que não tivesse a ser feita o controlo de alcoolemia a todos os condutores, como este tinha antecedentes, seria prudente fazê-lo. Estava a respeitar a igualdade de direitos? Não, visto não estar a agir da mesma forma para duas pessoas diferentes. Mas ambos tiveram a opção inicial de não terem violado o código da estrada.

Uma pergunta, fica ofendido com a violação da igualdade de direitos, quando um polícia impede um individuo, que em tempos foi condenado por pedofilia, de beber café no bar à porta da escola primária dos seus filhos? É que é uma violação da igualdade de direitos, mas não da igualdade de opurtunidades…

1 COMENTÁRIO

  1. Concordo plenamente, sou perfeitamente a favor de uma sociedade que premeie o mérito. Infelizmente se fosse feito como dizes em Portugal só se premiavam os filhos, enteados e demais amigos. Infelizmente cada vez mais me convenço que está no “sangue” Português procurar o caminho mais fácil e mais egocêntrico.

Deixar uma resposta