Mais um ano, mais uma alteração de impostos. E mais uma vez a confusão habitual, e a suspeita que nos estão a ir ao bolso em cada compra.

O que foi alterado, e que é mais significativo nesta contabilidade, é a restauração. Sim, eu sei que também mais produtos foram alterados, mas quero centrar-me na restauração, apesar das contas serem válidas para todos os casos.

Tomemos por exemplo o café. Normalmente pagava-se 0.60€ aqui onde costumo beber, e houve quem suportasse o aumento do IVA por parte do vendedor, e outros que o cobraram ao consumidor final. E qual a conta. Ora bem, o IVA subiu de 13% para 23%, logo 10% de aumento, ou seja a bela da bica passa aumenta 10%, para 0.66€, e como este número não é “redondo” lá vai ela para os 70 cêntimos… Aqui já estávamos a ser comidos no arredondamento, mas nem é apenas por aí. Muita gente aumentou apenas para 65 cêntimos, e diz logo de seguida, para nos provar a sua magnanimidade que devia ter aumentado para 66, porque são 10%, mas como são porreiros, até suportam esse cêntimo eles.

Nada mais errado, e mais uma vez por erro de matemática simples.

Vamos fazer as contas, um café custava 0.60€, mas este preço, e aqui está o cerne da questão, já incluía o IVA. E o que aumentou foi o IVA, não o valor do produto todo. Logo o preço do café sem imposto seria de 0.60€ a dividir por 1.13 (o antigo IVA), ou seja 0,53€. E é a este valor que devemos aplicar o novo IVA, multiplicando por 1.23, ficando o valor final em 0.65€. Nem parece muito, mas agora passemos para outros valores. Numa maquina de café empresarial, daquelas concessionadas onde empresas externas deixam café em Empresas ou Universidades, o café que me custava 0,25€ subiu para 0,30€. Este aumento refletiria uma subida para 38% de IVA, em vez da subida para 23%…

E uma conta de restaurante de 50€.  Muita gente a subiu para 55€, aplicando os tais 10%, mas na prática deveria ter subido para 54€. E sim, é “apenas” 1€, mas quanto maior for o valor base, maior ainda será esta fatia que vai sair do bolso do consumidor, por mais uma vez ser levado nas contas de merceeiro dos nossos estabelecimentos.

E isto é matemática da mais básica que existe, mas que por incrível que pareça, muito bom Português ainda desconhece ou falha… Mas depois protestam por tirarem carga a atividades extra curriculares no ensino básico, em favor de mais horas de Português e Matemática…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.