Sarkozy

SarkozySe existe coisa na qual eu acredito, e que penso que deve ser sempre defendida é a Democracia. Claro que isto não invalida que seja um sistema com os seus defeitos e perigos. E hoje uma notícia chega de França faz-me pensar mais uma vez num dos seus grandes problemas: as pessoas.

Parece que Sarkozy está interessado em chegar mais perto do povo, ou de usar o lema para ganhar eleições, e apresenta como medidas uma série de referendos.

Para começar, sobre os direitos e benefícios a que os desempregados têm direito. Depois outro sobre os direitos dos estrangeiros em França. Muito bem pensador Sr. Sarkozy, pois o povo deve ter direito a decidir. O único problema é, qual o limite?

Que tal fazer um referendo sobre aumentar os salários em 50%? O povo era capaz de aceitar, pelo menos em número suficiente para fazer passar a lei. E já agora que tal férias pagas até 60 dias úteis por ano? Seria mau para o país, poderia implicar um potencial colapso da economia, mas como seria votado?

A democracia tem tão de bom como de perigoso. Numa sociedade com pessoas inteligentes e com bom senso comum, ou seja numa sociedade ideal, não haveria riscos destes, mas se calhar no mundo real, deveria-mos ter um pouco de cuidado sobre o que se pode ou não perguntar em referendo…

Mas tanto lá como cá, o único referendo que é proibido, é sobre mudar a nossa Republica para uma menos socialista na constituição, ou a mudança de estilo de Chefia de Estado para uma Monarquia ou outra. Dá que pensar…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.