Imagem Público
Imagem Público

Foram convocadas para dia 25 de Abril uma série de manifestações pela liberdade e democracia, pelo grupo Anonymous , com o lema: “resistência pacífica mas não passiva” e o nome de código #OP 25 Abril.  Eu sou daquelas pessoas que acha que a Democracia e a Liberdade são das coisas mais fortes que temos, e pelas quais devemos lutar.

Já me manifestei, durante o Verão Quente da Educação, e não tenho problema nenhum de o volta a fazer quando o achar justo e necessário. Sei que nem sempre têm algum efeito, ou até mesmo raramente o têm, mas fazem parte dos meus direitos cívicos e não abdico de os poder exercer.

Outro direito que acho essencial, e do qual também não abdico, é o de propriedade. Se me esfolo a trabalhar para conseguir comprar coisas, tenho todo o direito de as querer manter intactas, e não destruídas por um grupo de pessoas sem qualquer noção do que é a propriedade. E falo de propriedade porque? Durante as manifestações do mês passado no Chiado, onde a polícia, e bem, carregou os manifestantes, a manifestação tinha-se tornado apenas e só uma acção de selvajaria e vandalismo. A polícia ao ver montras a serem partidas, cadeiras a ser atiradas contra si, e contra carros e propriedade de pessoas que trabalharam para os comprar, resolveu avisar que em cinco minutos iria carregar, caso não parassem com os actos de vandalismo e dispersassem.

Este tipo de actuação da polícia é para mim não só justificada como correcta. Desculpas como “as pessoas que sofreram a carga não eram quem estava a fazer os distúrbios” não são válidas, até porque desrespeitaram uma ordem da autoridade, que avisou com tempo que iria efectuar a carga. E a carga era contra o grupo onde estavam os vândalos em acção. Será possível fazer uma acção destas, necessária para parar os actos de vandalismo? Penso que não, por isso terão de ser aceites.

Será que este tipo de violência e vandalismo ajuda a causa dos manifestantes? Não, claramente até prejudica a sua imagem e a sua mensagem.

Por isso caros Anonymous, antigos activistas de sofá que agora descobriram a rua, manifestem-se, exerçam o vosso direito, mas pacificamente. Caso de novo se tornarem uma acção de vandalismo, que sejam parados com toda a violência necessária, e depois presos e julgados (de preferência de forma célere ao contrário ao hábito), e condenados.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.