Cão – Um investimento até em tempo de crise

Polly, a nossa companhia canica
Polly, a nossa companhia canina

Vivemos uma altura de crise. Por muito que esta frase seja um chavão, não deixa de ser uma das mais tristes realidades, e temos de saber viver com ela. Numa altura de crise no entanto podemos tentar apenas olhar para os rendimentos que temos, e sobreviver com eles, ou tentar transformar alguns neles em retorno. E uma boa oportunidade de negócio nesta fase é um Cão.

Como em todos os investimentos, antes de olhar para o retorno temos de observar com atenção os custos.

Primeiro que tudo existe o custo de aquisição. Aqui um cão é barato, visto poder ser até gratuito, visto que o que não falta é pessoas a tentarem doar animais para adopção, e canis a precisar do mesmo. Claro que este é apenas o primeiro, visto também terem de ter as instalações para o mesmo animal. Deve ser adequado ao espaço para o animal, o tamanho do mesmo. Cães de tamanho muito grande em apartamentos pequenos é um péssimo investimento. Tanto para os seus objectos pessoais, como para o animal em si.

Depois vêm as despesas de legalização, chip, vacinas e todos estes tramites. Não podem nem devem ser ignorados, pois são custos iniciais e devem ser cumpridos por diversos motivos.

E claro, existem as despesas regulares. Um cão precisa de ser alimentado, e isso custa dinheiro. Mais uma vez o tamanho do animal implica também a quantidade de comida que ele ingere. Se a vossa disponibilidade financeira para manter um animal não é a mais prospera, será melhor investimento um animal de dimensão mais pequena. Isto na parte financeira, visto ser necessário também investimento de tempo. Um animal precisa de passeio, actividade física e algum treino. O cão não nasce ensinado, e vai fazer asneiras, e coisas que você não quer obviamente até aprender.

Mas como em qualquer investimento existe a parte do retorno. E esta é onde os custos parecem mesmo muito baixos em comparação com os ganhos. Um cão é um animal sociável, que dá carinho sem pedir nada em troca, fica feliz cada vez que recebe algo, e está sempre pronto a tentar mimar de volta quem lhe quer bem.

Será isso suficiente em tempo de crise? Se analisarmos bem trocamos dinheiro, que em alturas de crise é indispensável, por algo que não trás retorno financeiro. Para mim claramente que é um enorme retorno, visto ser alguém que se junta à família, e que sabemos que estará lá nos bons e nos maus momentos. Não quer saber quanto a pessoa ganha nem os bens que a pessoa possuí. Quando se chega do trabalho chateado, pesado e cansado, um abanar de cauda efusivo por nos ver faz repensar o quão as pequenas coisas da vida são simplesmente maravilhosas. São momentos destes que muitas vezes nos ajudam a enfrentar os abismos do dia a dia com melhor animo, e sempre com os pés assentes no chão.

Por tudo isto não tenho dúvidas, mesmo em tempos de crise, um cão é um excelente investimento. Mas mais que um investimento é um amigo e um membro da família.

Evite se puder – Sensei Lounge em Carcavelos – Sushi

Um casal chega a casa Domingo à noite, e resolve encomendar um sushi para o jantar. Existindo um restaurante que tem serviço de entrega ao domicilio, e ainda por cima com dose dupla ao Domingo, as coisas ficam decididas rápido. Até aqui tudo perfeito. Aponta-se o jantar para as oito e meia, e telefona-se para o Sensei Lounge em Carcavelos. Sou informado que o transporte só é feito às oito, ou às nove, não podendo ser no período intermédio. Aceito, e fica tudo assente.

image
Sushi ainda na caixa, mas já a denotar o estado em que vinha…

Para ajudar à questão, os pauzinhos e o molho de soja, que são parte integrante deste tipo de serviço, desta feita, ao contrário das outras vezes que tinha encomendado, não vieram.

Passadas as nove e meia, resolvo telefonar só para saber se houve algum problema. A senhora que me atendeu disse que não sabia, visto o estafeta ter saído ainda antes das 21, e que lhe iria ligar, voltando depois a informar-me. Ligou-me pouco depois a dizer que tinha sido um engano do estafeta, que foi fazer outras entregas primeiro, mas que tinha levado a nossa também, e que dentro de dez minutos estaria em nossa casa. Assim foi, mais coisa menos coisa.

image
Sushi depois de aberto, ensopado e mole…

O problema ficaria resolvido por aqui, mas o sushi não vinha em grande estado. Eram três embalagens, umas por cima das outras envolvidas em papel celofane. A de cima era Sushi quente, que vinha apenas morno e ensopado no molho no qual esteve demasiado tempo por via da espera de quarenta minutos adicionais. As duas embalagens de baixo, de sushi normal, vinham também mornas. Isto é, o sushi que deve ser fresco, até porque é na suma peixe cru, veio quarenta minutos sem refrigeração, e com uma fonte de calor por cima.

O que uma pessoa que até se acha bem educado, mas minimamente exigente faz? Informa o prestador do serviço do que se acabou de suceder. Aqui fica o mail que lhes enviei para o mail, que está tanto no site como no Facebook, e pelo qual também aceitam encomendas:

Boa noite,

Sou vosso cliente há já algum tempo, tendo ido ao vosso espaço em Carcavelos diversas vezes, e também já por várias vezes pedi entrega em casa. Até agora não tinha tido qualquer razão de queixa, mas hoje infelizmente tenho.

O serviço demorou 40 minutos em relação ao esperado, coisa que após contacto telefónico convosco foi justificado com o ser um novo colaborador que estaria a fazer a entrega.

Em relação ao sushi em si, uma das embalagens, estava meio amassada (sushi quente), e completamente ensopada devido à espera. Mais, com tanto tempo fora, todo o sushi estava meio quente, e claramente abaixo dos vossos padrões.

Outra coisa que me desagradou, e que também não era esperado, foi não terem sido enviados nem pauzinhos nem molho de soja.

Sendo vosso cliente já de algum tempo, e tendo até hoje sido um cliente bem servido e satisfeito, fico um pouco triste com esta situação, e espero que tenha sido apenas algo pontual, no vosso normalmente excelente serviço.

Com os melhores cumprimentos,

Bruno Jacinto

Não esperava muito, um simples pedido de desculpa deixar-me-ia satisfeito, ou pelo menos aumentaria a probabilidade de me manterem como cliente. Mas para meu espanto, não obtive, pelo menos em três dias, qualquer tipo de resposta. Ainda tentei colocar no facebook do Sensei Lounge uma questão sobre se era este o mail correcto, e se estava em condições operacionais, mas foi prontamente apagada, sem qualquer resposta. Nesse mesmo facebook verifiquei que algumas pessoas tiveram queixas, e até períodos de quatro horas de espera, sobre o serviço do Sensei Lounge recentemente. É sem dúvida uma pena, vindo de uma casa da qual já me considerava cliente.

Será que é este o tipo de serviço que numa altura de crise fixa clientes para permitir um negócio subsistir? Será que tentar manter um cliente satisfeito, ou pelo menos ter a humildade de saber pedir desculpas quando não se consegue, custa assim tanto?

Nota: este texto foi escrito no seguimento de um péssimo atendimento decorrido no dia onze de Março de 2012. Tinha ficado no limbo, apesar de pronto, porque no fundo pensei: se calhar foi apenas um caso isolado. Depois de ter visto que não é nada disto (como se pode ver numa resposta no minimo arrogante por parte deste restaurante no seu facebook) resolvi tirá-lo da caixa dos pensamentos, e passá-lo a publicado.